PicPay cobrará taxa para transferir auxílio emergencial e FGTS

PicPay cobrará taxa para transferir auxílio emergencial e FGTS

O PicPay, uma das fintechs mais utilizadas para movimentação do auxílio emergencial, começou a cobrar uma taxa para transferências do benefício e também do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Agora, os clientes que usarem o cartão de débito virtual da Caixa para transferir os recursos do aplicativo Caixa Tem para a carteira digital do PicPay pagarão uma taxa de 1,99% sobre o valor da transação.

Por outro lado, as transferências para a conta digital via boleto bancário segue sem taxas em todos os casos.

Conforme noticiou a Gazeta em 14 de outubro, a mudança segue o que já vem sendo feito por outras fintechs. O Mercado Pago e o PagBank, por exemplo já haviam instituído taxas para essas transações.

Taxa de 1,99% 

Essas movimentações de recursos do auxílio e do FGTS para contas digitais em fintechs passou a ser amplamente adotada pelos beneficiários.

Isso porque a Caixa primeiro faz o crédito do benefício na conta digital. Mas só algumas semanas depois libera os recursos para saques e transferências.

Durante esse período, só é possível fazer pagamentos de boletos, compras com o cartão de débito virtual ou via QR Code.

Por conta disso, os beneficiários — e as próprias fintechs — encontraram uma maneira de antecipar o processo, enviando os recursos para as contas digitais.

Isso é possível de duas maneiras. Em um dos casos, o beneficiário pode gerar um boleto no app da fintech e pagá-lo pelo Caixa Tem. Neste caso, o usuário continuará sem pagar taxas.

A outra opção é adicionar dinheiro à carteira via cartão de débito virtual da Caixa. E é aí que os 1,99% entram.

Se uma pessoa enviar os R$ 600 do auxílio, por exemplo, pagará um total de quase R$ 12 pela movimentação. Esse alto valor provocou reação dos usuários.

À Gazeta, o PicPay comentou, em nota:

“Dada a situação emergencial imposta pela pandemia, ofereceu gratuidade nas transações de auxílio emergencial por 5 meses – tanto por meio do cartão de débito da Caixa, quanto por boleto.”

Cobranças de outras fintechs

Em julho, o Mercado Pago — o primeiro a cobrar pelas transferências — estipulou uma taxa de 0,8% para essas movimentações. Agora, no entanto, a taxa também está em 1,99%. 

Segundo a fintech, a cobrança válida para depósitos com qualquer cartão de débito, visa cobrir parte dos custos da transação.

No PagBank, a cobrança é um pouco menor, de 1,65% de taxa por transação.

Leia também: Day trade é comparado com cocaína em artigo sobre riscos da atividade

Leia também: Nota de R$ 200 foi usada em escândalo do “Senador da Cueca”

Leia também: Semana das criptomoedas: empresário critica day trader, instituições abraçam o Bitcoin e colapso no mercado de ações

Last News Crypto: Cripto Facil