Moedas digitais de bancos consolidarão o Bitcoin, segundo veterano

Moedas digitais de bancos consolidarão o Bitcoin, segundo veterano

Brian Kelly, da CNBC, disse acreditar que as Moedas Digitais de Bancos Centrais (CBDCs, na sigla em inglês) irão impulsionar o Bitcoin e os mercados de criptoativos.

Nesse sentido, em um novo episódio de Fast Money, o diretor executivo da empresa de investimento em moeda digital BKCM, declarou que está otimista com o futuro do BTC em sua interação com as CBDC.

Oferta fixa de Bitcoin é diferencial

Além disso, Kelly comentou que o forte contraste entre a oferta fixa de Bitcoin e a impressão de dinheiro pelos governos só se ampliará com a digitalização das moedas fiduciárias mundiais:

“Em termos de euro digital, yuan digital ou dólar digital, não é realmente uma competição para o Bitcoin. Isso porque a proposta de valor principal do Bitcoin é que ele tem um suprimento fixo. Não consigo imaginar o BCE [Banco Central Europeu] emitindo uma moeda digital que terá uma oferta fixa. Na verdade, eu acho que seria muito mais fácil para eles imprimirem mais dinheiro digitalmente. Na verdade, acho que isso representa um risco maior para os detentores de moeda fiduciária. Ao mesmo tempo, destaca por que o Bitcoin é um produto digital semelhante ao ouro.”

Alta pós-having ainda não acabou

Já no que diz respeito ao rumo do preço do BTC, Kelly disse que não vai colocar um número. Entretanto, acredita que a alta pós-having da criptomoeda ainda não acabou.

“O Bitcoin está acima de US$ 16.000, acho que há 12 dias em toda a sua história. Suspeito que, provavelmente, haja algumas pessoas que compraram no final de 2017, 2018 e que depois de três longos anos vão querer sair disso. Portanto, não ficaria surpreso em ver um retrocesso”, destacou.

Dessa forma, ele acredita que os próximos halvings devem impulsionar ainda mais o valor do BTC.

“Minha opinião sobre isso é que o valor total de mercado de todos os Bitcoins existentes é de US$ 300 bilhões. O valor total de todo o ouro existente é de US$ 10 trilhões. Se o Bitcoin realmente vai perturbar parte do mercado de ouro, uma avaliação total de US$ 300 bilhões é o número errado. Você pode ver que há muito espaço para ganhos”, disse.

Por fim, Kelly ainda observou só se passaram sete meses após o having mais recente do BTC. E, segundo ele, a maioria dos ganhos vem no ano após o halving. Por isso, para o executivo, “o Bitcoin está fazendo o que deve fazer”.

Leia também: Bitcoin rompe os R$ 100 mil e marca novo recorde em reais

Leia também: Paulo Guedes vê possível hiperinflação: como o Bitcoin protege do real?

Leia também: Baleias vão continuar mantendo alta do Bitcoin, revela relatório

Last News Crypto: Cripto Facil